Exposições integram programação paralela

Exposições integram programação paralela

O Palácio Quitandinha, ele mesmo um verdadeiro museu com mais de 50 mil metros quadrados que já acolheu personalidades da música, do cinema e da política, tendo testemunhado parte da história cultural do Brasil, é palco, durante o 5º Fórum Nacional de Museus, de debates sobre o futuro dos museus brasileiros.

Mas o antigo hotel-cassino também abriga, durante os cinco dias do evento, quatro exposições voltadas para os participantes do evento. Entre minicursos, painéis, conferências e encontros, o público tem a oportunidade de conhecer mais sobre os museus brasileiros e as políticas e experiências que vêm sido desenvolvidas no setor.

Trazida pelo Ibram, uma das mais concorridas é a mostra sobre a série Conhecendo Museus, que apresenta ao público os museus do Brasil, seus acervos e as histórias por trás deles. Através de tablets com fones de ouvido, os visitantes do espaço podem assistir aos 52 programas produzidos.

“Já conhecia a série, inclusive já usei um dos vídeos como material pedagógico num projeto de extensão”, conta a estudante de História Amanda Silva, de Brasília (DF). “Gostei do espaço, acho que abre a oportunidade para que outras pessoas da área de História, memória e patrimônio também conheçam a série e a utilizem”.

Outra exposição bastante visitada foi trazida pelo programa Ibermuseus e aborda a história da iniciativa e suas contribuições para o fortalecimento do diálogo entre os países da América Latina e península ibérica. Há ainda mostras sobre Educação Museal e sobre os museus criados pela Fundação Roberto Marinho.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Tiago Silva