Conferência aborda economia criativa e museus no 6º FNM

Conferência aborda economia criativa e museus no 6º FNM

O tema escolhido para o 6º Fórum Nacional de Museus, Museus Criativos, esteve no centro das discussões durante a conferência do encontro, que aconteceu hoje (25).

Participaram o secretário de Economia Criativa do Ministério da Cultura (MinC), Marcos André Carvalho, do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Angelo Oswaldo, e do escritor, poeta e professor de Museologia da Universidade Federal do Pará (UFPA) João de Jesus Paes Loureiro (foto destaque).

Marcos André Rodrigues:

Marcos André Rodrigues: cultura em um cenário não-indsutrial

Em fala ao público que acompanhou a conferência no auditório principal do evento e pela internet, Marcos André lembrou que, apesar de aparentemente desgastada, a noção de “criatividade” como fato econômico ainda tem um longo caminho a se percorrer no setor cultural brasileiro.

Para ele, o desafio maior é adaptar-se a uma economia não-industrial em que a cultura agregue valor a produtos e serviços.

“As cidades e seus equipamentos culturais, incluindo os museus, estão sendo reinventados. Nesse contexto, o museu deixa de ser visto como ‘depósito de coisas antigas’ para ser um espaço de interação com o território, transformação social e criação de novas narrativas”, disse o secretário, que destacou a contribuição das incubadoras Brasil Criativo neste sentido.

Na mesma linha, o presidente do Ibram, Angelo Oswaldo, lembrou que “a aceleração do tempo criou consequências em todas as direções e veio bater na porta dos museus”, enfatizando que os museus devem “abrir as portas” para a nova dinâmica social, cultural, econômica e tecnológica e se transformar para atrair visitantes e assegurar sua sustentabilidade.

Fechando a conferência, o mediador João de Jesus Paes Loureiro salientou que, apesar de não ter surgido no nosso tempo, foi nele que a criatividade tornou-se um fato social e uma necessidade no âmbito do fazer cultural e dos museus. “Durante muitas décadas o museu se impôs ao tempo; hoje é o tempo que se impõe ao museu”, disse.

A programação de conferências do 6º Fórum Nacional de Museus segue nesta quarta-feira (26), com transmissão em tempo real pela internet a partir das 16h30.